A escolha da escola: uma decisão pessoal



O que levar em consideração na escolha da escola?

Nessa época do ano, algumas famílias costumam repensar sobre a permanência dos filhos na escola em que eles estudam. Outras, começam a escolher onde colocá-los.

O que levar em consideração na escolha da escola?

A nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), é um documento de caráter normativo, que define o conjunto progressivo de aprendizagens essenciais que todos os estudantes precisam desenvolver ao longo das etapas da Educação Básica e apresenta aspectos importantes que nesse momento eu destacarei a fim de dar algumas dicas sobre o que observar nas instituições de ensino quando você for fazer a sua escolha. No que diz respeito à Educação Infantil, a BNCC menciona sobre seis direitos de aprendizagem que as escolas precisam atentar e garantir em suas aulas: conhecer-se, conviver, brincar, participar, explorar e expressar-se. Portanto, converse com o coordenador pedagógico e pergunte se o seu filho:

– Terá oportunidade de conviver em grupos;
– Utilizará diferentes linguagens para comunicar-se;
– Desenvolverá o respeito em relação às diferentes culturas;
– No dia a dia explorará brinquedos e brincadeiras de diferentes formas, em espaços privilegiados e construídos especialmente para crianças;
– Experimentará situações que envolvem o corpo, os sentidos, o cognitivo e as emoções;
– Participará ativamente na construção do conhecimento, atuando como protagonista da própria história;
– Explorará movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, elementos da natureza;
– Ampliará seus saberes sobre a cultura, em suas diversas modalidades: as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia e em quais situações e espaços da escola isso se concretiza;
– Por meio das propostas da escola, receberá contribuições para construir uma imagem positiva de si mesmo e de seu grupo de pertencimento.

Além disso é muito importante saber:

– Qual a metodologia da escola;
– Quais são os procedimentos de avaliação;
– Como a escola motiva e engaja os estudantes para as aprendizagens;
– Os princípios e valores que norteiam os procedimentos dos funcionários, principalmente dos professores que têm contato direto com seu filho;
– Como as ações pedagógicas são supervisionadas;
– Por meio de quais instrumentos a família tem acesso as conquistas, avanços, possibilidades e aprendizagens do filho?

Se o seu filho já está no Ensino Fundamental, do 1º ao 9 º ano, a etapa mais longa da Educação Básica, é importante destacar que é a fase em que crianças e adolescentes passam por uma série de mudanças relacionadas a aspectos físicos, cognitivos, afetivos, sociais, emocionais, entre outros e há necessidade de observar:

– Como é estabelecida pela escola a progressiva sistematização do trabalho pedagógico ou seja, as crianças e adolescentes precisam aprender e rever conteúdos a fim de que possam se apropriar de conhecimentos e construir outros;

– Quais são as oportunidades que ele terá de formular hipóteses sobre os fenômenos, testá-las, refutá-las e elaborar conclusões?

– Como é trabalhada a responsabilidade, a desenvoltura e a autonomia?

– Por meio de quais estratégias aprende-se a ler e a escrever?

– E a compreensão de sistemas de representação como os signos matemáticos, os registros artísticos, midiáticos e científicos e as formas de representação do tempo e do espaço acontece por meio de quais propostas?

– A instituição promove situações em que os estudantes interajam com outros espaços de aprendizagem e descobertas, tais como exposições e laboratórios?

– Nos espaços da escola, há diversidade, modernidade a fim de constituírem como meios facilitadores da aprendizagem?

Independente da idade do seu filho, considere também:

– Se o perfil dele se adequa à metodologia da escola;
– Se a localização é próxima a sua residência;
– O valor da mensalidade , inclusive com os cursos extras, é compatível com a renda familiar?
– O que a escola oferece além do básico?
– Como se dá a formação da equipe pedagógica e docente na escola escolhida?
– Quais os horários de funcionamento?
– Há transporte escolar?
– Como funciona a segurança da escola em relação a entrada e saída das crianças e adolescentes?
– Há reuniões com as famílias?
– O cardápio é elaborado por nutricionista?
– Como funciona a adaptação dos estudantes no início do ano escolar?

Compreendo que onde ele estudará é uma decisão que requer tempo para análise da essência das propostas, conhecimento do ambiente e dos profissionais. Desse modo, sugiro que elabore uma lista de prioridades sobre o que não pode faltar na escola em que deseja que seu filho estude e leve-o junto para ajudar nessa escolha, caso ele já possa contribuir opinando a respeito de algo que é essencial: a formação educacional que influenciará o futuro dele.

 

Professora Dra. Jozimeire Angélica Stocco de C. N. da Silva
Diretora-Geral das Unidades 1, 2 e 3, Pós-doutoranda em Educação pela PUC/SP, Doutora em Educação pela PUC/SP,  Mestra em Educação, Especialista em Educação Infantil.

 

Texto publicado em: https://chk.com.br/a-escolha-da-escola-uma-decisao-pessoal/