A nova Estufa do Stoquinho une arquitetura inteligente e harmonia com a natureza – Colégio Stocco

A nova Estufa do Stoquinho une arquitetura inteligente e harmonia com a natureza

11/ago/2020

O Colégio Stocco renova constantemente sua estrutura para proporcionar os melhores espaços de aprendizagem já vistos na cidade. A novidade da vez é a Estufa Bioclimática do Stoquinho – Unidade 1, da Educação Infantil, elaborada com uma estrutura arquitetônica inteligente baseada em conceitos de sustentabilidade e princípios de agricultura urbana, além de interagir diretamente com a natureza.

Imagem interna e externa da estufa bioclimática da Unidade 1

Bambu: resistência e versatilidade

A estufa do Stoquinho utiliza o bambu como principal elemento de construção. Desta forma, sua arquitetura chama muito a atenção por ser uma técnica ainda pouco explorada e difundida em nosso país.

Há milênios, o bambu é cultivado em vários lugares do planeta por se adaptar facilmente aos diferentes climas, solos e ritmos de chuvas. Mas foi no oriente, em países asiáticos, que foram largamente explorados como fonte de alimento, produção de medicamentos, entretenimento para a fabricação de instrumentos musicais e principalmente na construção.

O material selecionado para elaboração da estrutura da estufa foi o Phyllostachys aurea, bambu conhecido também como “Cana-da-Índia”. Além de bonito, é um material leve, versátil, com excelentes propriedades físicas e mecânicas, o que possibilita o uso na construção de estruturas fortes e resistentes, sem contar o papel socioambiental em sua produção e comercialização. Os colmos escolhidos tem um média de 5 cm de diâmetro e foram tratados à base de fogo, técnica que facilita o trabalho de flexibilidade, assim como a instalação da estrutura in loco.

Design moderno em união com a natureza

A estufa com forma de parabolóide hiperbólico com dupla curvatura, proposta pela arquiteta Juliana Becker, é uma construção simples e complexa ao mesmo tempo. Tem suas linhas e curvas desiguais, trazendo leveza e beleza para a estrutura. As aberturas mais altas na parte frontal e posterior da estufa permitem melhor aproveitamento dos ventos dominantes e, assim, melhor ventilação cruzada do espaço.

Cinco pórticos sustentam a estufa, cada um com larguras e alturas diferente e, consequentemente, curvaturas distintas. Os bambus diagonais paralelos e perpendiculares uns aos outros, que acompanham estes pórticos, formam estas “colméias”, geometrias marcantes que trazem a harmonia da estufa. Do ponto de vista estrutural, este design também permite o contraventamento da mesma, crucial para uma estrutura bem feita, pela leveza do bambu.

As sapatas corridas construídas no solo como fundação também ajudam na solidez da estrutura. A estufa foi recoberta com o policarbonato alveolar maleável que possibilita o acompanhamento das curvas da estufa. Por ser transparente, permite a visão do lado de fora; porém, pelo fato de ser alveolar, de alguns ângulos, e dependendo do tempo e luminosidade, há mais ou mesmo reflectância vista da parte de fora, criando um efeito visual interessante. Esta contraposição entre o material low-tech e natural, o bambu, e high-tech e moderno, o policarbonato, cria uma composição inteligente e harmônica para a obra.

Estudantes na aula do Projeto de Educação Ambiental

O projeto de construção da estufa tem como objetivos produzir hortaliças orgânicas para atender a demanda do refeitório e ser utilizada como recurso didático com espaço para atividades voltadas à educação ambiental através de observação, manejo e estudos orientados.

Inovação que favorece o aprendizado na Educação Ambiental

O Colégio sempre se destacou pela iniciativa de utilizar a agricultura na formação de seus alunos. Estimulando uma nova consciência ambiental e mostrando, através do exemplo, a produção de alimentos saudáveis dentro da escola, com práticas de cultivo sustentável, promovendo a alimentação consciente e a divulgação do conhecimento sobre as técnicas da agricultura urbana. A construção da estufa agrega ainda mais ao nosso espaço, traz a oportunidade de evidenciar o uso de materiais alternativos e sustentáveis como o bambu, ainda pouco reconhecido, mostrando pioneirismo, característica do Colégio Stocco.

Estudo do meio na estufa bioclimática

Luís Gustavo Cordeiro Alves

Professor de Ciências, Robótica e Educação Tecnológica.
Mestrando em Tecnologias Emergentes em Educação MUST – University. Pós graduado em Metodologias Ativas pelo IBFE-SP

Juliana Becker

Arquiteta

Marcelo Noronha

Agrônomo

Veja mais postagens

Política de Privacidade | © 2022 Colégio Stocco - Todos os direitos reservados
×